dest.2

O mercado disponibiliza diversos tipos de graxa e para vários segmentos, desde o setor automobilístico até para o uso do dia a dia em casa.

A graxa é utilizada para evitar ou reduzir atritos, desgastes, aquecimento de motores e proteger o maquinário de corrosão, além de ser fundamental para componentes que tenham contato entre si constantemente, evitando futuros problemas, como ruídos e atritos.

A graxa é composta por um óleo mineral, que tem capacidade lubrificante, deixando o produto com aspecto gorduroso. Este agente lubrificante, junto a um emulsificante, atua como absorvente em contato com o material aplicado, reduzindo assim o impacto do desgaste.

Há vários tipos e formatos de graxas, desde as pastosas até as líquidas. Uma delas é a graxa vermelha. Continue lendo este artigo e descubra algumas de suas propriedades.

Graxa vermelha

A graxa vermelha é feita à base de sabão de lítio e uma de suas principais características é ser resistente a altas temperaturas.

A graxa vermelha resiste ao calor sem perder a capacidade de lubrificação e também é resistente à água. Ela protege contra corrosão, tem alta resistência à oxidação e boa estabilidade mecânica.

Se eu uso máquinas industriais, como na indústria automotiva, naval e mecânica, em que a temperatura do maquinário sempre é elevada, devo usar justamente este produto.

art.2.1

A graxa vermelha permite o uso em altas temperaturas porque o ponto de fusão do sabão de lítio acontece por volta de 180º C, o que permite que o produto seja usado até uma temperatura de 140º C por períodos curtos.

Outro benefício é que a maioria das graxas de sabão de lítio são aditivadas com antioxidantes, aditivos para extrema pressão, anti-corrosivos e aditivos de adesividade.

Como escolher a graxa certa

Em primeiro lugar, graxa é um nome genérico a todos os lubrificantes pastosos ou de alta viscosidade, compostos a partir da fusão do óleo mineral ou sintético, agentes espessantes (densos) e aditivos. Por isso é essencial saber qual tipo de graxa o seu produto necessita.

Antes de comprar qualquer graxa, é preciso verificar qual é a ideal para o que você procura, pois existem fatores que devem ser considerados na hora de decidir quais tipos de graxa são as melhores para cada ação. São eles: consistência, faixa de temperatura, proteção contra a erosão, aderência do óleo e miscibilidade, pressão e composição.

Esses fatores são relevantes, pois o tipo e a característica da graxa se devem aos agentes que a constituem. A maioria das graxas é composta por sabões metálicos, como os de cálcio, sódio e lítio, como mencionado anteriormente.

Outro fator significativo é escolher a graxa que ofereça uma película de óleo que seja apta e capacitada a aderir àquilo que você deseja. Não adianta escolher o produto se a aderência dele não for ideal para sua finalidade.

Não se esqueça também da viscosidade do óleo base. Cheque sempre o tipo específico de graxa que o seu equipamento necessita, essa informação, em geral, é informada pelo fabricante de cada máquina.

Vinícius de Medeiros

Diretor Técnico-Comercial – LATAM da AVIA-Lubrisint, atua no mercado de lubrificantes especiais e produtos químicos a mais de 25 anos com vasta experiência em aplicações e soluções. Engenheiro Químico e Administrador de Empresas, tem baseado sua carreira em servir aos clientes, sempre com grande expertise e total disponibilidade e confiabilidade. Atualmente coordena a empresa em seus projetos e planos de expansão.

Deixe um comentário!